terça-feira, 5 de julho de 2016

Se compensando

Um fato interessante aconteceu comigo há um tempo atrás.
Um belo dia minha irmã querida me deu um cartão de  crédito de presente, pra mim aquilo foi a coisa mais legal que uma pessoa poderia fazer por outra, me senti amada e importante.
Isso teria sido trágico se eu não tivesse aprendido a lição com o que aconteceu pouco tempo depois.
Bom, eu estava trabalhando na época e comecei a entrar numa crise terrível de depressão. (Nota: O deprimido não é deprimido o tempo todo, existe fases chamadas crises desencamihadas por diversos fatores que fazem a pessoa entrar no estágio de
tristeza e descontentamento).
Continuando, eu entrei nessa faze e comecei a me compensar comprando coisas, ou seja, buscando me satisfazer nas coisas materiais.
Resultado :Estourei o cartão. Perdi o controle por assim dizer. E o pior é que mesmo comprando eu não me sentia bem, parecia que eu estava nadando pro fundo do mar na tentativa de ajudar a mim mesma.
Eu ia trabalhar e chorava sobre a máquina de costura, foram vários dias assim, e como qualquer chefe teria feito acabei sendo demitida.
O chefe alegou falta de verba pra pagamento e que não via saída senão me demitir.
Aceitei aquela situação no momento pois estava me sentindo emocionalmente exausta. Passado alguns dias  me abateu um sentimento de inutilidade, de incapacidade mesmo.
Esse foi o começo de dores maiores.
Dias depois chegou a fatura do cartão 485 reais, quase tive um Treco.
Sofri até meu marido chegar, com medo de contar pra ele, mas ele me ouviu e falou pra eu ficar tranquila que ele pagaria aquela e mais as outras quatro que viria a seguir de valor parecido.
Senti um mix de emoções, alegria e culpa por ter criado aquela divida pro meu marido pagar sendo que nosso orçamento já andava apertado, só de aluguel ele pagava 450 reais.
E os dias passavam e tristeza misturada com a culpa me consumia. Caí de cama, só saia dela pra levar minhas filhas na escola e fazer comida pra elas, parei de comer e larguei tudo. Nessa época fui ajudada por irmãos na fé que me consolaram com a palavra de Deus e uma irmã na fé e minha irmã de sangue me levaram ao médico e cuidaram de mim.
Com a medicação fui melhorando.Saí da crise.
Assim que melhorei procurei minha irmã e agradeci imensamente por ela ter me confiado um cartão em seu nome mas eu não estava pronta pra  usar com sabedoria aquele presente, então devolvi o cartão pra ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário